Colunas Anteriores
Nossos Colunistas
 
PONTO-DE-VISTA
Rogério David
O crescimento do mercado de cosméticos no Brasil
por Rogério David*
Há algum tempo as empresas do segmento de cosméticos estão rindo à toa...

O mercado de cosméticos no Brasil, ao longo de mais de 20 anos, vem crescendo sempre na casa de dois dígitos todos os anos, de maneira consistente e imponente.

Mercado que já alcança o segundo lugar do mundo em consumo de shampoos e está ainda em pleno desenvolvimento, pois há anos que as empresas vêm destacando muitos investimentos nesse mercado, e não estamos falando no mercado de commodities, esse então explodiu.

Esse mercado é relativamente novo, mas passa ainda por vários pontos importantes, no aspecto de entendimento:
- O mercado de cosméticos brasileiro ainda não atingiu sua maturidade porque temos muitos problemas de ordem social que ainda atrapalham o desenvolvimento. Por incrível que pareça quando falamos de shampoo, metade da nossa população ainda nem "descobriu" o hábito de tomar banho diariamente, por motivos sócio-econômicos, educação, e principalmente por desconhecerem completamente a necessidade de utilização.
- Outro fator, que atrapalha o crescimento, é que não podemos esquecer que nosso povo é latino, tem hábitos ainda de padrões machistas, e só de falar em usar esse ou aquele cosmético, pode "comprometer sua masculinidade". Mesmo aqueles que já superaram esses traumas ainda não têm o hábito de utilização.

Em recente pesquisa nas cinco principais capitais brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Curitiba) pessoas entrevistadas de 20 a 50 anos foram questionadas de maneira direta quanto ao uso diário de cosméticos, e qual foi a surpresa, digo, decepção:
- Comparado com o mercado europeu, o homem brasileiro (dentro da pesquisa) utiliza de 2 a 4 produtos cosméticos por dia, enquanto o europeu utiliza de 10 a 13 produtos/dia;
- A mulher brasileira também representa um número muito inferior ao europeu, consumindo de 3 a 5 produtos/dia, enquanto a mulher européia utliza de 15 a 17 produtos/dia.

É claro que devemos levar em conta, clima, cultura, disponibilidade, ofertas, hábitos, etc; mas podemos dizer aos interessados nesse mercado que ainda estamos engatinhando no consumo de produtos cosméticos.
A população masculina está descobrindo cosméticos agora, pois até certo tempo atrás o homem que utilizava cosméticos e falava sobre o assunto era considerado uma pessoa com problemas de ordem sexual - um absurdo.

O mercado de coloração deve crescer pelo menos o dobro nos próximos dois a cinco anos e as empresas que atuam nesse mercado insistem em brigarem pelo mercado feminino. Ninguém tem uma campanha/proposta até hoje focada nos homens, nas crianças com colorações fashion e principalmente no mercado teen, que é um mercado muito forte, e tudo o que tem para esse mercado hoje no Brasil é importado e de qualidade discutível.
Podemos afirmar com segurança: se as indústrias que temos no mercado de coloração não se estruturarem, não conseguirão atender o mercado. Só para exemplificarmos: a Itália que tem um terço de nossa população possui mais de 100 fábricas que além de produzirem produtos de coloração para si mesmas ainda tercerizam para mais do triplo de empresas. Ao contrário do Brasil que ainda podemos contar na mão (talvez em uma das mãos) quem realmente fabrica esse produto.

O nosso povo está aprendendo ainda a usar a cosmética a seu favor, como podemos nos considerar o povo mais bonito do mundo (segundo revistas internacionais), graças as misturas de raças, ainda iremos crescer muito nesse mercado, mas cabe lembrar que cosméticos não servem apenas para embelezar, servem também para proteger e salvar vidas, seja de um recém-nascido ou de pessoas que têm baixa-estima - um problema grave que mata milhares de pessoas no mundo inteiro.

Para os empresários de plantão - cosméticos depois de informática é o mercado que mais cresce no Brasil.
Então boa sorte, e ótimas vendas.
Rogério David é consultor de negócios e trabalhou para algumas das principais empresas de cosméticos no Brasil.
Veja também as outras matérias de Rogério David:
Cosméticos - O fenômeno
Mulheres - De Dona de Casa À Dona da Casa
Como centenas de milhares de adolescentes, cresci apaixonado pela Fórmula 1
A competitividade no mercado de cosméticos
Empreender ou trabalhar como empregado? Eis a questão...
Medrosos de Plantão
O crescimento do mercado de cosméticos no Brasil
Rogério David

Guia Salão Brasil é uma marca registrada e seu proprietário tem todos os direitos reservados.
O Guia Salão Brasil tem seu conteúdo destinado aos profissionais cabeleireiros, manicures, maquiadores, podólogos, esteticistas, dermatologistas, visagistas e ao público interessado em beleza e estética.
O conteúdo das matérias é de inteira responsabilidade dos respectivos anunciantes.